O que é Depressão?

A Depressão é um agrupamento de sintomas das esferas psicológicas, física e comportamental. Considerado uma doença grave e uma das principais causas de incapacidade no mundo. Vem crescendo assustadoramente atingindo todas as faixas etárias independente de cor, raça, estado civil ou condição socioeconômica. A Probabilidade de uma pessoa desenvolver um episódio depressivo maior ao longo da vida, é três vezes maior no sexo feminino. Sendo mais comum entre 18 e 29 anos de idade.  Incluindo entre outros, fatores genéticos e hereditários. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão aumentou por volta de 18,4% nos últimos 10 anos, atingindo por volta de 4,4% da população mundial (322 milhões), sendo que em 2020 pode se tornar o segundo maior problema de saúde global. No Brasil, estima-se que 5,8% da população apresenta depressão, ou seja, um número de 11,5 milhões de brasileiros segunda última pesquisa, sendo o quinto lugar no ranking mundial e segundo nas Américas, ficando somente atrás dos Estados Unidos (5,9%). Outro problema que se tem observado, é que os sintomas aparecem cada vez mais cedo. A incidência em crianças e adolescentes tem aumentado drasticamente e quanto mais precoce, maior a chance de se cronificar e agravar o prognóstico em relação a recaídas.

Como saber se o que sinto é Depressão?

Segundo o DSM-V, (Diagnóstico Estatístico de Saúde Mental) A Depressão é caracterizada pela presença de cinco ou mais sintomas por um período de duas semanas sendo relevante para o diagnóstico a presença de humor deprimido ou perda de interesse e prazer. Inclui:

  • Humor deprimido na maior parte do dia, quase todos os dias, envolvendo: tristeza, vazio, falta de esperança e choro fácil. Esses sintomas também podem ser percebidos por familiares e amigos. Em crianças e adolescentes, pode ser também humor irritável;
  • Acentuada diminuição do interesse ou prazer em todas ou quase todas as atividades na maior parte do dia, quase todos os dias;
  • Perda ou ganho significativo de peso sem fazer dieta. Exemplo: alteração de mais de 5% do peso corporal em um mês, redução ou aumento de apetite. Em crianças, apresenta grande dificuldade para ganhar peso esperado para a idade;
  • Insônia ou hipertonia quase todos os dias;
  • Agitação ou retardo psicomotor. Sintomas que pode ser observado por outras pessoas próximas;
  • Fadiga ou perda de energia quase todos os dias;
  • Sentimento de culpa excessiva ou sem sentido incluindo inutilidade;
  • Maior dificuldade de concentração para pensar ou tomar decisões;
  • Pensamento recorrente de morte(não somente medo de morrer), ideação suicida recorrente sem um plano específico ou tentativa de suicídio ou plano específico para cometer suicídio.

Os sintomas causam sofrimento clinicamente significativos ou prejuízos no funcionamento social, profissional, ou em outras áreas importante da vida do indivíduo.

Relato Depressivo

Eu sei que não tenho habilidade para fazer as coisas bem. Parece que a minha mente está muito lenta e me sinto inútil. Eu percebo uma desesperança muito grande em quase todas as coisas. As pessoas me dizem: Isso é temporário, logo vai passar, você vai melhorar. Mas elas não têm a mínima ideia de como me sinto, as vezes nem eu mesmo sei como estou me sentindo. Eu não vejo nada melhorar. Não consigo suportar a vida. Jamais serei feliz e o pior, sinto que sou um peso para a minha família. Se não acho saída, qual o sentido da vida? “

O que pode Causar a Depressão?

Enquanto sintoma, a depressão pode surgir nos mais variados quadros clínicos, entre os quais: transtorno de estresse pós-traumático, demência, esquizofrenia, alcoolismo, doenças clínicas, etc. Pode ainda ocorrer como resposta a situações estressantes, ou a circunstâncias sociais e econômicas adversas.

Enquanto síndrome, a depressão inclui não apenas alterações do humor (tristeza, irritabilidade, falta da capacidade ou de sentir prazer, apatia), mas também uma gama de outros aspectos, incluindo alterações cognitivas, psicomotoras e vegetativas (sono, apetite).

Finalmente, enquanto doença, a depressão tem sido classificada de várias formas, na dependência do período histórico. Entre os quadros mencionados na literatura atual encontram-se: transtorno depressivo maior, melancolia, distimia, depressão integrante do transtorno bipolar tipos I e II, depressão como parte da ciclotimia, etc.

Embora a característica mais típica dos estados depressivos seja a proeminência dos sentimentos de tristeza ou vazio, nem todos os pacientes relatam a sensação subjetiva de tristeza. Muitos referem, sobretudo, a perda da capacidade de experimentar prazer nas atividades em geral e a redução do interesse pelo ambiente. Frequentemente associa-se à sensação de fadiga ou perda de energia, caracterizada pela queixa de cansaço exagerado. Alguns autores, enfatizam a lentificação ou retardo psicomotor.  No diagnóstico da depressão levam-se em conta: sintomas psíquicos; fisiológicos; e evidências comportamentais.

Não basta entender qual o motivo ou gatilho da depressão: (divórcio, luto, demissão, mudança de casa ou de escola…). É necessário procurar ajuda. A depressão precisa de tratamento e envolve: Farmacologia e Psicoterapia.

Os antidepressivos , são um grupo de medicamentos mais usados nos transtornos depressivos. Faz-se necessário uma consulta ao psiquiatra ou psicólogo para um diagnóstico diferenciado. A medicação precisa ser testada e leva de 3 a 4 semanas para surtir efeito. Se for eficaz, poderá se prolongar entre um a dois anos ou mais.

Não basta só a medicação. Segundo recentes pesquisas, a Terapia Cognitivo Comportamental (TCC), é fundamental porque trabalha com os pensamentos disfuncionais que o individuo apresenta sobe si, sobre o outro, e sobre o mundo, bem como as reações fisiológicas, emocionais e comportamentais.

Principais Estratégias

  •  Não espere o desejo para sair da cama, levante-se mesmo sem energia  e tente fazer algo novo, mesmo sem desejo, certamente ele virá após a sua ação. Apesar do desanimo, dos pensamentos negativos, siga em frente. Na depressão, o desejo e o animo virá sempre depois que você faz algo mesmo sem vontade;

  •  Movimente-se: O exercício é um antidepressivo Natural e o aeróbico é mais indicado para amenizar a depressão. Comece caminhando em volta de casa.

  • O açúcar em excesso bagunça o humor isso inclui: refrigerantes e sucos industrializado.Além do psicólogo e psiquiatra, inclua também um nutricionista e um educador físico;

  •  Procure o sol, experimente 20 minutinhos diário. O sol fará bem ao seu humor, acelera o tratamento e reduz recaídas;

  •  Mantenha um ritmo regular de sono, desligando o celular e apagando as luzes;

  • A Depressão não é uma doença permanente, com a psicoterapia e a medicação correta pode-se voltar a vida normal, sem depressão.

GOSTOU? COMPARTILHE...

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

LEIA TAMBÉM...